This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Estuprador castrado, justiça feita.

Estupro, a melhor solução é a prevenção.

Está rolando na net uma campanha sobre comportamento, modo de vestir e estupro. A mulher tem o direito de se vestir como quiser, desde que o ambiente  a ser frequentado não tenha regras, como é o caso de fóruns entre outros ambientes. Contudo, há de se levar em conta, que um estuprador é um psicopata, e que a maioria dos homens não são estupradores. O modo de vestir das mulheres não justifica o fato de ser estuprada, apesar de atrair o predador.  Mas isso não dá o direito de fazer disso uma campanha confusa. Uma pessoa que tem a coragem, e a capacidade de estuprar, é a mesma que mata sem motivos e comete latrocínio. Não tem relação com classe social, pois se tivesse não haveria tanto estupro em universidades acontecendo nos campus todos os dias. Inclusive, raramente se houve falar em estupro na área rural. A neurose do estuprador é a consequência de outros problemas sociais. Pornografia, libidinagem, luxuria, lascívia e tantos outros desvirtuadores do caráter, vendidos diariamente pela televisão e outros meios de comunicação. Tenho que ficar lendo a toda hora. Homens, minha saia curta não significa que quero ser estuprada! Meu short curto não quer dizer que quero ser violentada. Isso não me diz respeito, eu não sou estuprador. Ai fica a pergunta; Será que na hora do estupro estes argumentos funcionam? Ou será que este tipo de protesto vai curar o estuprador? Será que ele se sentir constrangido com estas palavras?
RESUMINDO: Contra estuprador não adianta protesto nem cara feia, a única coisa que funciona é a prevenção.

Segue abaixo algumas orientações para evitar um possível estupro.

Dicas
Sempre tenha tipos legalizados de sprays de pimenta e similares na sua bolsa.
Lembre-se de improvisar. Qualquer coisa que você carregue consigo pode ser usada como arma de alguma maneira. Por exemplo, se você estiver usando salto agulha, tire os sapatos e acerte o agressor no olho ou outro lugar sensível com a ponta do salto. Até mesmo suas chaves podem ser usadas como arma, se elas forem pontudas. Corte a garganta ou pulso dele, ou tente furar o olho. Quando ele estiver caído, corra imediatamente, chame ajuda, corra para um local mais movimentado e fale para a maior quantidade de pessoas o que aconteceu. Não espere que ele se levante de novo. Se ele se levantar, isso só vai deixá-lo mais furioso e vai fazer com que ele faça o pior.
Estupradores nem sempre parecem criminosos. A pessoa pode parecer normal, bem arrumada, atlética, jovem, etc. Ele pode nem parecer ter más intenções. Ele pode ser seu chefe, seu professor, seu vizinho, namorado, ou parente.
Revide apenas se ele começar a briga. Caso contrário, você pode ser acusada de agressão. Não parta para a violência antes que qualquer coisa aconteça.
Seu instinto natural pode salvar sua vida. Preste atenção nele. É como um radar, e pode prevenir sérios problemas. É comum ouvir relatos de mulheres atacadas que ouvem uma voz baixa dentro delas dizendo que algo está muito errado. Ouça essa voz e respeite-a. Se houver alguma "coisa" dizendo que alguém ou algum lugar parece perigoso, não ignore.
Se você prestar atenção, os alvos fáceis são uma linha reta. Olhos, nariz, boca, garganta, plexo solar, seios (se for uma mulher), estômago, virilha, joelhos e peito do pé.
Lembre-se, você tem o direito de mutilar seu agressor. Eles tinham intenções ainda piores e você tem pleno direito de defender-se. Não tenha medo ou fique receosa de fazer qualquer coisa com eles; eles merecem. Seja o mais agressiva possível.
Quando em casa, nunca deixe pessoas desconhecidas entrarem. Se é alguém para fazer consertos, instalações, etc. diga que você precisa ver um documento COM FOTO e o veículo da empresa. Se você não confiar na pessoa instantaneamente, não deixe-a entrar. Se a pessoa não olha nos seus olhos, não tem documento, não está em um veículo com o nome da empresa ou não usa um uniforme, isso são comportamentos suspeitos. Não permita que essa pessoa entre em sua casa! Peça para que alguém da empresa ligue para você antes de permitir a entrada, ou ligue você mesma para a empresa.
Lembre-se que os agressores normalmente querem presas fáceis, então não colabore! Se você for abusada sexualmente, grite coisas que deixem claro para qualquer pessoa que ouvir que você está sendo agredida.
Estupro é algo que não só pode, como acontece com todo tipo de pessoas e o tempo todo. Idade, classe social, grupo étnico e outras diferenças não influenciam na escolha do estuprador. Dados de pesquisa mostram claramente que o modo de se vestir ou as ações de uma pessoa não influenciam na escolha da vítima pelo estuprador. A vítima é escolhida dentre as que mais parecem ser facilmente intimidadas. Os estupradores procuram alvos fáceis e vulneráveis. Essas estatísticas foram obtidas de várias fontes, incluindo estudos sobre o estupro nos Estados Unidos, dados do National Victim Center (Centro Nacional de Vítimas) e do FBI.

1. Não se distraia, especialmente com tecnologia. Não faça caminhada com seu iPod pois os estupradores estão procurando por pessoas fáceis de atacar, distraídas, que pareçam não estar prestando atenção ao que acontece em volta. Podemos dizer o mesmo de falar no celular. Mas, por outro lado, se você achar que alguém está lhe seguindo, pegue o celular e finja estar conversando com alguém, pois assim seu "parceiro de conversa" poderia notar um ataque. Se seu possível agressor estiver querendo não ter testemunhas, provavelmente ele vai se afastar e mudar de ideia. Você pode até fingir que está encontrando alguém e que ele(a) já chegou ou está chegando MUITO em breve. Não diga "5 minutos" ou o agressor pode apenas decidir agir mais rápido. Se ele achar que você está em segurança ou estará em menos de um minuto, ele deve desistir.

2. Aprenda a confiar nos seus instintos. Isso pode poupar você de ser estuprada ou pior. Se você se sentir desconfortável ou insegura por qualquer motivo, o ideal a fazer é sair do local e encontrar ajuda. Use seus instintos e tome cuidado com o instinto de ficar paralisada. Ande rápido... lutar, fugir ou ficar paralisado são instintos naturais do ser humano, então lembre que os três existem.

3. Esteja consciente do que há à sua volta o tempo todo. Estacionamentos e garagens são dois dos lugares mais visados por estupradores. Estes homens são predadores, então observe seus arredores com cautela. Se você estiver em um estacionamento e achar que alguém está lhe seguindo, comece a fazer barulho - fale alto consigo mesma, fale com alguém imaginário, ou finja que está falando no celular. Quanto mais barulhenta a possível vítima, mais os predadores desistem de agir

4. Entenda que seu corte de cabelo pode beneficiar um agressor. Rabos de cavalo e cabelos compridos são o que os estupradores mais procuram pois são fáceis de agarrar.

5. Como você se veste também importa. Não em questão de atrativo, mas da dificuldade de correr caso você seja abordada por um agressor, e a facilidade de tirar as roupas. Saias longas e finas que dificultam na hora de correr deixam você vulnerável. Roupas difíceis de tirar são as melhores. Macacões e jardineiras (de preferência com botões ou fivelas na parte de trás ou dos lados) são as melhores; elas são difíceis de tirar à força. Evite calças e saias com elástico na cintura - essas são as mais fáceis de tirar. Calças e saias com botões atrás ou do lado são boas pois isso faz com que um agressor tenha mais dificuldade para abri-las. Cintos também são ótimos; eles são um item a mais que o agressor precisa tirar. Um cinto com uma fivela complicada e diferente da tradicional é excelente; uma que você saiba como funciona, mas o agressor não. Vestidos e até tops com um zíper ou botões na parte de trás são vantagem para você. Pode ser mais difícil de você vestir e tirar, mas alguns minutos a mais toda manhã e noite para se vestir de forma mais segura é uma ajuda e tanto para prevenir o estupro.

6. Fale o mais alto possível se você tiver qualquer temor. Lembre-se que é melhor parecer louca do que ficar calada para evitar olhares estranhos.

7. Só leve itens para defesa com você se você souber usá-los. Lembre que qualquer "arma" que sirva para ferir um possível agressor pode ser usada contra você se você não tiver treino e não conseguir usá-la bem. Se você pretender, por exemplo, andar com um canivete, aprenda as melhores maneiras de usá-lo. Lembre-se de que até um guarda-chuva ou bolsa podem ser usados como armas contra um agressor, e têm menos chances de ser usados contra você.

8. Grite alto e chame atenção para você. Os agressores normalmente tem uma ideia de como o ataque vai acontecer. Quebre esta ideia. Lute como um gato psicótico, grite alto e forte.

9. Grite "LIGUE PARA O 190 AGORA". Existe uma crença comum de que é melhor gritar "fogo" do que pedir ajuda - no entanto, muitos acreditam que isso é equivocado, ou até mesmo errado. A "ideia do fogo" se baseia na crença de que as pessoas não querem se envolver para ajudar portanto você deve fazê-las pensar que está acontecendo um incêndio. Isso pode não ser uma boa ideia. Vários estudos com espectadores (ex. Latane e Darley) mostram que a razão pela qual espectadores não ajudam é simples: confusão. Espectadores não têm certeza do que está acontecendo; "o agressor e a vítima se conhecem?" Isso mostra que é melhor "dizer o que está acontecendo" e gritar "POLÍCIA!" "LIGUE PARA O 190 AGORA", "ARMA" ou "SOCORRO!" Palavras como "Polícia" são mais propensas a assustar o agressor e alertar quem estiver próximo para o que está acontecendo - gritar "fogo" vai chamar logo a atenção das pessoas, mas quando for óbvio que não há fogo nenhum, a palavra "POLÍCIA" funciona mais rápido. Estudos também têm sugerido esta estratégia eficaz: apontar para uma pessoa específica e dizer "você, senhor de camisa branca, preciso de sua ajuda agora! - Este homem está me atacando!" Diga dessa forma, apontando para alguma pessoa.

10. Faça um curso básico de defesa pessoal, como de Defesa Contra Estupro. Entre em contato com a polícia local para se informar sobre cursos do tipo.

11. Mantenha a atenção em festas e bares. Trate sua bebida como uma nota de R$ 100,00. Não deixe que ninguém a segure. Não deixe-a em qualquer lugar. Evite qualquer coisa que queiram lhe dar. Pode ser "batizado." Sempre pegue e fique com suas próprias bebidas. Nunca deixe uma bebida de lado, nem por um momento. Mantenha sua mão em cima da sua bebida, pois é fácil soltar algo dentro dela. Não aceite uma bebida de alguém que esteja flertando com você a não ser que o garçom ou outro funcionário do bar entregue-a diretamente a você. Não quer ser rude? Quem se importa, só mostre suas preferências. E se ele não quiser mandar o drinque pelo garçom, leve o drinque para o toalete com você e derrame-o. GHB se dissolve imediatamente, especialmente se estiver em pó. NÃO saia de perto dos seus amigos sozinha e bêbada. NÃO deixe que seus amigos saiam e deixem você sozinha. Diga a outras pessoas para onde você está indo. Tenha cuidado com banheiros públicos em boates e bares. Mulheres já foram atacadas em banheiros femininos desertos.

12. Pense e tenha cuidado em boates ou outros lugares com música alta. Às vezes é tão alta que ninguém conseguirá ouvi-la pedir ajuda.

13. Trabalhe sua firmeza. Se alguém está lhe dando atenção indesejada, mande parar. Não há necessidade de ser educado quando alguém está se insinuando e passando dos limites.

14. Planeje. Se um estuprador está no banco do carona em seu carro com uma arma apontada para você, ele vai mandar você ir para algum lugar onde haja menos chances de aparecerem testemunhas. Faça o que fizer, não siga o que ele diz. Ponha o cinto de segurança e faça o carro colidir com algo sólido, como um poste ou árvore. O airbag e o cinto de segurança vão manter você viva, e o acidente vai chamar a atenção. É melhor estar em um acidente de carro do que ser estuprada e possivelmente morta. Mantenha a calma e tente surpreender o estuprador.

15. Saiba que vans são os veículos mais usados em estupros. Os estupradores estacionam junto do lado do motorista e, quando você vai entrar no carro, eles lhe puxam para dentro da van. Se houver uma van no lado do motorista do seu carro, entre pela porta do carona. Se há vans estacionadas dos dois lados, volte para onde você estava e peça a alguém, como um guarda de segurança por exemplo, para ir com você até o carro. Não estacione em nenhum lugar que pareça inseguro.

16. Preste atenção quando estiver entrando em casa ou no carro, alguém pode facilmente empurrar você para dentro, entrar e trancar a porta. Preste atenção no ambiente ao redor; esteja com as chaves prontas na mão e olhe em volta antes de abrir a porta.

17. Mantenha as informações pessoais para si. Não saia falando de detalhes da sua vida na internet. Além disso, tenha muito cuidado ao encontrar com alguém que você conheceu pela internet. Nunca existe uma boa razão para se encontrar com uma pessoa que você nunca viu pessoalmente, ou que quer marcar um encontro quando você está insegura. Se você quer ir mesmo assim leve alguém conhecido, de preferência um amigo mais velho, e encontre com a pessoa em um local público.

18. Entenda os fatores de vulnerabilidade. De acordo com o CDC (Centro Nacional de Controle de Doenças, nos EUA), já ter sofrido abuso sexual enquanto menor de idade, ser mulher, ter menos de dezoito anos e usar álcool ou drogas são alguns dos fatores de vulnerabilidade.

19. Ande com confiança. Olhe para frente enquanto anda e mantenha-se ereta; fingir que você tem duas panteras enormes do seu lado enquanto anda pode parecer bobagem, mas ajuda a aumentar a confiança. Agressores são mais propensos a atacar quem parece não ser capaz de se defender.

20. Observe e deixe marcas que possam identificar o agressor. Uma marca grande de mordida no rosto, globo ocular vazado, perna profundamente arranhada, piercing arrancado, etc. são detalhes fáceis de identificar, assim como tatuagens diferentes, entre outros. Pense para matar. Mire em pontos fracos como os olhos (enfie os dedos com força), nariz (bata de baixo para cima com a parte inferior da sua mão aberta), genitália (aperte com força e esmague ou dê socos fortes), etc. para que a pessoa não tenha forças de bater em você nem lhe segurar e você possa correr. Se você estiver em um lugar de onde não possa fugir, olhe em volta e deixe marcas onde possível. Estupradores já foram pegos porque suas vítimas deixaram marcas identificáveis de dentes, unhas ou DNA nos carros ou quartos onde foram agredidas.

21. Leve um cachorro se você pretende ir ao parque, praia ou outro lugar sozinha. Andar com um cão é como ter outra pessoa com você. Cães de grande porte intimidam agressores, mesmo que seu animal de estimação não seja bravo. Se você não tem um cão grande, ande com um pequeno mesmo assim. Quando seu cachorro vir você em apuros, vai prontamente protestar. Um agressor dificilmente ataca uma pessoa com um cão, seja grande ou pequeno, pois os cães normalmente fazem tanto barulho que é certeza chamar a atenção, o que eles não querem. E quem sabe - seu poodle pode acabar surpreendendo seu agressor quando ele lhe agarrar.

22. Prepare-se mentalmente se você for pega por um estuprador. Você precisa fazer tudo o que puder para escapar, mesmo que para isso tenha que se machucar. Às vezes, o estuprador mata suas vítimas para evitar que ele seja preso ou identificado. Se o estuprador invadir sua casa, jogue coisas pesadas nele e nas janelas. Faça o máximo de barulho possível. Não permaneça no carro ou van com o estuprador se possível. Pule do carro em movimento ou faça-o colidir com alguma coisa se você estiver dirigindo. Procure todas as oportunidades para feri-lo e escapar. Use o medo que você sente na hora e transforme-o em raiva contra seu agressor. Não fique submissa a não ser que você sinta que é necessário pois estão apontando uma arma para você. Nunca se entregue sem luta.

23. Faça contato visual se você acha que está sendo seguida por alguém que você ache que pode ser perigoso. Um agressor terá menos disposição para atacar se ele achar que você pode identificá-lo com facilidade.

24. Nunca entre no carro de um possível estuprador ou deixe ele entrar no seu se você puder evitar. Corra, grite, lute ou faça o possível para não entrar no carro à força, pois uma vez que você estiver no carro em movimento, aumentam as chances de você ser levada para um local remoto onde o estuprador pode agir à vontade. É melhor se ferir e escapar do que ser levada para o meio do nada e morrer.

25. Aprenda alguns pontos estratégicos. Plexo solar, peito do pé, nariz e virilha - esses são os quatro pontos de ataque que você deve alvejar caso o estuprador lhe agarre por trás. Atinja o plexo solar com os cotovelos, pise no pé o mais forte que conseguir, e quando ele lhe soltar, vire e bata com a palma da mão na parte inferior do nariz dele e termine com uma joelhada na virilha. Isso deve incapacitar seu agressor por tempo suficiente para você escapar. Não se preocupe em feri-los, eles pretendiam fazer coisa muito pior com você. Faça o possível para evitar que eles lhe estuprem. Se nada disso funcionar, grite por ajuda; mas se você estiver no meio do nada, tente lutar e fugir para um esconderijo ou lugar mais alto. By Wikihow


Mobilização Contra o Marco Civil.

Mobilização Contra o Marco Civil.

Este blog e seus colaboradores são contrário ao PL 2126/11 do Marco Civil. Pois ele viola os direitos constitucionais de liberdade e privacidade.
Como pontua Dowbor (2006) [...] patéticos construtores de muletas sociais [...] falharam na regulação de segurança e outros meios de combate ao crime cibernético e agora querem colocar na conta do cidadão.
O “Marco Civil” é uma atentado à liberdade de expressão.
Mais uma lei porcaria que vai ajudar justamente os políticos que volta e meia são alvo de acusações dos internautas, que não aguentam mais ver alguns desses vagabundos colocando a mão no nosso dinheiro.
Mais uma prova de que os políticos são lobos em pele de cordeiro. Camuflam uma lei com um título nobre com a justificativa de defender o interesse público.
Na prática acontece justamente o contrário.
Mas a internet é um fenômeno dinâmico e mutante. Os nobres deputados e senadores ainda não compreenderam a extensão e a importância da rede em nossas vidas.
Certamente vão tentar impor uma lei para beneficiá-los, mas de nada adiantará regular a internet com imposições absurdas. Sempre haverá uma maneira de burlar dispositivos censores.
Se esta emenda for aprovada o cidadão brasileiro vai ter violado o seu direito de protestar.
Em contrapartida, os políticos serão os grandes beneficiados.
Até quando a população brasileira vai dar apoio a esses energúmenos?
Para entender o caso, leiam a carta da Abranet (Associação Brasileira de Internet) sobre o tema. Blogdoabdul

Marco Civil da Internet é uma iniciativa legislativa, surgida no final de 2009, para regular o uso da Internet no Brasil, por meio da previsão de princípios, garantias, direitos e deveres para quem usa a rede, bem como da determinação de diretrizes para a atuação do Estado. Aprovado na Câmara dos deputados em 25 de março de 2014, o projeto de lei está submetido à votação do senado federal.
A ideia do projeto, surgida em 2007, foi adotada pelo governo federal em função da resistência social ao projeto de lei de cibercrimes conhecido como Lei Azeredo, muito criticado sob a alcunha de AI-5 Digital. Após ser desenvolvido colaborativamente em um debate aberto por meio de um blog, em 2011 o Marco Civil foi apresentado como um Projeto de Lei do Poder Executivo à Câmara dos Deputados, sob o número PL 2126/2011. No Senado, desde 26 de março de 2014 o projeto tramita sob o número PLC 21 de 2014.
O texto do projeto trata de temas como neutralidade da redeprivacidade, retenção de dados, a função social que a rede precisará cumprir, especialmente garantir a liberdade de expressão e a transmissão de conhecimento, além de impor obrigações de responsabilidade civil aos usuários e provedores.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu hoje (31) a aprovação do Projeto de Lei do Marco Civil da Internet sem alterações no Senado. De acordo com o ministro, o texto aprovado na semana passada pela Câmara “contrariou muitos interesses” e, por isso, deve haver intensa pressão para que sejam feitas modificações na proposta.
“É claro que o projeto contrariou interesses econômicos, certas visões, mas acho que conseguimos uma vitória espetacular, que não deve ser alterada, nem maculada por absolutamente nada. Portanto, acredito que o Senado irá aprovar o texto do marco civil, que brinda todos os brasileiros e todo o país como um país de vanguarda nessa área, na busca de um caminho que respeite a pluralidade e a democracia nessa área tão importante”, disse Cardozo.
Ele informou que conversará ainda hoje (31) com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para tentar viabilizar a votação rápida da proposta. “É óbvio que interesses tentarão criar obstáculos, confundir, mas a opinião pública sabe muito bem que este projeto é um texto que, para o mundo, se coloca como exemplo. Gostaria muito que ele fosse aprovado com a máxima rapidez. A sociedade brasileira espera isso e será uma grande conquista.”
Em tramitação no Congresso Nacional há três anos, o Projeto de Lei (PL) 2.126/11 define os direitos e deveres de usuários e provedores de serviços de conexão e aplicativos na internet. A aprovação pelo Congresso abrirá caminho para que os internautas brasileiros possam ter garantido o direito à privacidade e à não discriminação do tráfego de conteúdos. A proposta foi aprovada pelos deputados depois de intensos debates.

Entre os principais pontos do projeto estão a garantia do direito à privacidade dos usuários, especialmente à inviolabilidade e ao sigilo de suas comunicações na rede mundial de computadores. Atualmente, as informações são usadas livremente por empresas que podem comercializar esses dados para setores de marketing ou vendas.
UPDATE: A sessão foi cancelada! A votação vai acontecer em outra data. (via @prenass)
O Brasil não é o primeiro país a ter regulamentação legal pra internet, mas é pioneiro em enxergá-la como ela é, não apenas como uma ameaça. O Marco Civil começou a ser escrito há três anos, motivado por projetos de leis que queriam detonar a nossa liberdade (como a Lei Azeredo, que queria fazer os provedores de internet monitorarem os que seus usuários faziam). Depois de muitas discussões, revisões e modificações, tudo indica que o Marco Civil está pronto pra ser aprovado e entrar em vigor em breve.
Mas o que isso vai mudar na sua vida? Gent, muita coisa! As empresas agora têm que andar na linha, com políticas claras pro internauta e respeitando o sigilo dos nossos dados. Além disso, o governo deverá garantir direitos de privacidade e neutralidade na web.
Um grande alívio: provedores de internet não serão responsabilizados por infrações cometidas pelos seus usuários, só serão passíveis de punição caso descumpram ordem de remover conteúdo impróprio ou ilícito. Além disso, os dados de acesso e navegação podem ser armazenados apenas por um ano e só se tornam públicos com ordem judicial. By youpix


terça-feira, 26 de novembro de 2013

Av 2 - Seminários VI

Questão 1:

Assinale a alternativa INCORRETA em relação à formulação de problemas científicos.

Alternativas:

1 - Ser formulado como pergunta.
2 - Ser claro e preciso.
3 - Ser obscuro.
4 - Ser empírico.
5 - Ser suscetível de solução.

Sua resposta:

3 - Ser obscuro.

Questão 2:

Assinale a alternativa correspondente: Elemento obrigatório, que consiste na apresentação concisa dos assuntos relevantes de um texto, fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo do trabalho, ressaltando os objetivos, os métodos, os resultados e as conclusões do mesmo.

Alternativas:

1 - Sumário;
2 - Resumo;
3 - Dedicatória;
4 - Conclusão.
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

2 - Resumo;

Questão 3:

Assinale a alternativa correspondente: É a transcrição das partes que compõem o trabalho, conforme aparecem no texto, na mesma ordem e grafia. É um elemento obrigatório.

Alternativas:

1 - Sumário;
2 - Resumo;
3 - Dedicatória;
4 - Conclusão.
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

1 - Sumário;

Questão 4:

Assinale a alternativa INCORRETA em relação à formulação de objetivos.

Alternativas:

1 - Explicar o que espera atingir;
2 - Forma de tópicos;
3 - Iniciar com verbos no infinitivo;
4 - Número máximo: 3;
5 - Estabelecer objetivos “inatingíveis”.

Sua resposta:

5 - Estabelecer objetivos “inatingíveis”.

Questão 5:

Por que usar as Normas da ABNT?

Alternativas:

1 - Não é necessário o uso das normas;
2 - A normalização estabelece um padrão para que os TCCs tenham estatísticas que possam ser entendidas por todos;
3 - A normalização estabelece um padrão para que os TCCs tenham uma estrutura de informações que possa ser entendida por todos;
4 - A normalização estabelece um padrão para que os TCCs tenham um conteúdo que possa ser entendido por todos;
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

3 - A normalização estabelece um padrão para que os TCCs tenham uma estrutura de informações que possa ser entendida por todos;

Av 1 - Seminários VI

Questão 1:

O que a utilização de indicadores sociais adequados subsidia?

Alternativas:

1 - As informações subjetivas para o conhecimento desta realidade (local/regional);
2 - As informações concretas para o conhecimento desta realidade (local/regional);
3 - As informações subjetivas e concretas para o conhecimento desta realidade (local/regional);
4 - As informações da totalidade da realidade (local/regional);
5 - As informações do todo da realidade (local/regional).

Sua resposta:

2 - As informações concretas para o conhecimento desta realidade (local/regional);

Questão 2:

O que é Indicador Social, segundo Januzzi (2004, p. 15)?

Alternativas:

1 - É uma medida em geral quantitativa dotada de significado simbólico substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para formulação de políticas).
2 - É uma medida em geral qualitativa dotada de significado simbólico substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para formulação de políticas).
3 - É uma medida em geral quantitativa dotada de significado social substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para formulação de políticas).
4 - É uma medida em geral qualitativa dotada de significado social substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para formulação de políticas).
5 - Todas as respostas estão incorretas.

Sua resposta:

3 - É uma medida em geral quantitativa dotada de significado social substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para formulação de políticas).

Questão 3:

O que são pesquisas produzidas anualmente em grande escala com propósito de levantamento da maior quantidade possível de informação sobre determinada área especifica de uma região/território.

Alternativas:

1 - Os Censos;
2 - As Pesquisas Amostrais;
3 - Registros Administrativos;
4 - Registros Acadêmicos;
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

1 - Os Censos;

Questão 4:

A atualidade demanda um profissional que vai além da esfera de executor terminal, avançando para:

Alternativas:

1 - A operacionalização;
2 - A burocratização;
3 - A escuta ativa;
4 - A gestão;
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

4 - A gestão;

Questão 5:

Qual deve ser a posição do assistente social frente a realidade?

Alternativas:

1 - Fatalista;
2 - Messiânica;
3 - Heroica;
4 - Propositiva;
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

4 - Propositiva;

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Av 2 - Comunicação Social na Prática do Assistente Social

Questão 1:

Qual é a teoria mais comum sobre como se processa a comunicação?

Alternativas:

1 - A que apresenta seis elementos essenciais para que ocorra a comunicação de modo completo.
2 - A que apresenta cinco elementos essenciais para que ocorra a comunicação de modo completo.
3 - A que apresenta quatro elementos essenciais para que ocorra a comunicação de modo completo.
4 - A que apresenta três elementos essenciais para que ocorra a comunicação de modo completo.
5 - A que apresenta dois elementos essenciais para que ocorra a comunicação de modo completo.

Sua resposta:

1 - A que apresenta seis elementos essenciais para que ocorra a comunicação de modo completo.

Questão 2:

Assinale a alternativa correta para substituição da palavra referente.

Alternativas:

1 - Signo;
2 - Sinal;
3 - Contexto;
4 - Media;
5 - Linguagem.

Sua resposta:

3 - Contexto;

Questão 3:

Assinale a alternativa correta em relação à divisão do signo linguístico.

Alternativas:

1 - Sintagma / paradigma.
2 - Sincronia / diacronia;
3 - Arbitrariedade/linearidade;
4 - Significado e significante;
5 - Linguagem: língua / fala.

Sua resposta:

4 - Significado e significante;

Questão 4:

A que “mundo” pertence os signos?

Alternativas:

1 - Ao mundo da revolução;
2 - Ao mundo da representação;
3 - Ao mundo da educação;
4 - Ao mundo da tecnologia;
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

2 - Ao mundo da representação;

Questão 5:

Como deve se dar o uso do computador no ensino?

Alternativas:

1 - Deve criar ambientes de aprendizagem com novas formas de entreter.
2 - Deve criar ambientes de aprendizagem com novas formas de memorização.
3 - Deve criar ambientes de aprendizagem com novas formas de pensar e aprender.
4 - Deve criar ambientes de aprendizagem com novas formas de raciocinar.
5 - Todas as alternativas estão incorretas.

Sua resposta:

3 - Deve criar ambientes de aprendizagem com novas formas de pensar e aprender.

Seguidores

10% Já (1) 13 Razões para fazer faculdade a distância (1) 30h semanais (4) 55 anos de alienação do Serviço Social (1) A Classe C sustenta a Classe A (1) A família e o serviço social (1) a praga do Brasil. (1) Aids (1) Andes SN (1) Antinomia (1) Aposentados (1) Artigos do Serviço Social (1) Av - Mês do Assistente Social - Unidade 1 - Estatuto da Criança e Adolescente e o Processo de Trabalho do Assistente Social (1) Av - Políticas Sociais e o Processo de Trabalho do Assistente Social (1) Av 1 - Comunicação Social na Prática do Assistente Social (1) Av 1 - Direito e Legislação Social (1) Av 1 - Estatística e Indicadores Sociais (1) Av 1 - Fundamentos Hist (1) Av 1 - Planejamento Social (1) Av 1 - Políticas Sociais I (1) Av 1 - Políticas Sociais II (1) Av 1 - Processos de Trabalho e Serviço Social (1) Av 1 - Seminários Temático IV (1) Av 1 - Seminários VI (1) Av 1 - Trabalho Profissional I (1) Av 1 Políticas Sociais I (1) Av 1- Planejamento Social (1) Av 2 - Comunicação Social na Prática do Assistente Social (1) Av 2 - Direito e Legislação Social (1) Av 2 - Economia Política (1) Av 2 - Fundamentos Hist (1) Av 2 - Planejamento Social (1) Av 2 - Políticas Sociais I (1) Av 2 - Políticas Sociais II (2) Av 2 - Processos de Trabalho e Serviço Social (1) Av 2 - Seminário Temáticos III (1) Av 2 - Seminários Temático IV (1) Av 2 - Seminários Temáticos II (1) Av 2 - Seminários Temáticos IV (1) Av 2 - Seminários VI (1) Av 2 - Trabalho Profissional I (2) Av 3 - Direito e Legislação Social (1) Av 3 - Fundamentos Hist (1) Av 3 - Oficina de Formação - instrumentalidade do Ssoc (1) Av 3 - Planejamento Social (1) Av 3 - Políticas Sociais I (1) Av 3 - Políticas Sociais II (1) Av 3 - Seminário Temáticos III (1) Av 3 - Seminários Temático IV (1) Av 3 - Trabalho Profissional I (1) Av 4 - Direito e Legislação Social (1) Av 4 - Fundamentos Hist (1) Av 4 - Oficina de Formação - Instrumentalidade do Ssoc (1) Av 4 - Planejamento Social (1) Av 4 - Políticas Sociais I (1) Av 4 - Políticas Sociais II (1) Av 4 - Seminário Temáticos III (1) Av 4 - Seminários Temático IV (1) Av 4 - Trabalho Profissional I (1) Av1 - Est/ssoc/segtrab/rh/ads/gsam/log/ped/cco/adm/ghosp/pger/mkt - Metodologia Científica (1) Av1 - Fundamentos Históricos (1) AV1 - Seminários temáticos - 4º Semestre (1) Av1 - Ssoc - Sem 6 - Oficina de Formação - Projeto de Intervenção (1) Av1 - Ssoc - Sem 6 - Políticas Sociais III (1) Av1 Ética e Legislação Profissional (2) Av2 - Est/ssoc/segtrab/rh/ads/gsam/log/ped/cco/adm/ghosp/pger/mkt - Metodologia Científica (1) Av2 - Fundamentos Históricos (1) Av2 - Segurança no Trabalho - Sem 1 - Seminário (1) Av2 - Ssoc - Sem 4 - Seminários Temáticos III (1) Av2 - Ssoc - Sem 6 - A Realidade Regional e o Ssoc. (1) Av2 - Ssoc - Sem 6 - Oficina de Formação - Projeto de Intervenção (1) Av2 - Ssoc - Sem 6 - Políticas Sociais III (1) Av2 - Ssoc - Sem 6dp - Politicas Públicas da Família (1) Av2 Oficina de Formação: Instrumentalidade do Serviço Social (1) Av2 Ética e Legislação Profissional (1) avaliação (2) avaliação Ética e Legislação Profissional (2) Avaliações (2) Benefícios Eventuais (1) BPC - Benefício de Prestação Continuada (2) Caderno do serviço social (2) Cai a PEC 37 com 439 votos não e 9 votos a favor (1) Carilha MDS (5) Carteira do Idoso (1) Cartilhas MDS (4) CFESS (21) CFESS apoia movimento grevista de Universidades Federais (1) CFESS debate a Política sobre Drogas do governo federal (1) CFESS inaugura perfil em redes sociais (1) CFESS lança manifesto sobre o Dia da Luta Antimanicomial (1) CFESS é candidato nas eleições do CNAS (1) CFESS é contra o Ato Médico (1) Cips (1) Ciência Política (2) CNH (1) Coleção de palavras Técnicas do Serviço Social (1) Conasss 2012 (1) Concursos (1) Concursos 2012 (6) Concursos 2013 (9) CRESS (1) Cuba (1) Cursos (1) Código de Ética (1) Código De Ética Do Serviço Social (3) Código de Ética profissional do Serviço Social (1) Dia da Luta Indígena (1) Dia Mundial do/a Trabalhador/a (1) Direitos Humanos (1) do Ssoc IV (4) ECA (1) Economia Poltica (1) Ensino à distância é pauta de reunião do CFESS (1) Entidades de Serviço Social se manifestam sobre crise no Paraguai (1) Estupro (1) FNTSUAS (2) Fordismo (1) Forum Nacional DCA (1) Frente contra drogas (1) Frente Nacional sobre Drogas e Direitos Humanos (FNDDH) (1) Governo (1) Habitação (1) Hospitais (1) ICMS - ALÍQUOTA DE UNIFICADA DE 4% (1) Idoso (2) Inscrições para o XIII ENPESS já começaram (1) INSS (1) Kit do vagabundo. (1) Livros da Marilda Villela Iamamoto. (3) Livros grátis (1) LOAS (1) Luta pelo Serviço Social na Educação tem vitória importante (1) Maioridade penal (1) Marco civil (1) MEC (1) Mestrado (1) Met (4) Modelo de Projeto de Intervenção do Serviço Social. (1) Mv Bill (1) Módulos de provas (3) Neoliberalismo (2) Nesse Feira (2) NESSE Tucano (1) Nota de Marcela Silva (1) Noticias (1) O Curso livre de Assistente Social (1) O INSS NA CONSTRUÇÃO CIVIL (1) O que faz o Assistente Social na Previdência Social? (1) O que é mais valia no conceito de Karl Marx? (1) Oficina de Formação - Questão Social (2) Oficinas de Instrumentais Técnico Operativo (1) Paulo Freire (1) PEC 37 (1) Pessoas com Deficiência (1) Pessoas portadoras de deficiência (1) Petróleo (1) Piso Salarail do Serviço Social (1) Pl educação (1) Platão (1) PNAS (1) Politica de Seguridade Social (1) Politicas Sociais (1) Porque sou a favor da continuidade da EAD no Brasil. (1) Processos de Trabalho (2) Procura-se Emprego. (1) Pronatec (1) Protesto (1) Pubicação MDS (2) Qual é função do Assistente Social? (1) Questão comentada (13) Questões de Concurso (1) Reunião CFESS (3) Salário (1) Sarney (1) Saúde (1) Saúde da mulher (1) Saúde Mental (1) Seminário de Serviço Social na Educação (1) Seminário de Serviço Social na Educação: veja a lista final de inscritos/as (1) Seminário Nacional de Serviço Social na Educação (1) Seminários (1) Serviço Social na Educação (3) Serviço Social é trabalho. (1) Simpósio Mundial (1) Sistema Prisional (1) Sistema Único da Saúde (SUS) (1) Teo (4) Terceiro Setor (1) Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV (2) Trafico de crianças. (1) Viva o Brasil! (1)

Artigos deste blog